quarta-feira, maio 10, 2006

A "doença" do Quim Remédios

O meu amigo Quim Remédios anda por baixo. Vocês recordam-se, certamente, do Remédios. Como tive oportunidade de contar, a alcunha de “remédios”, colada como marca, ou destino, ao afável nome de baptismo do meu amigo, provem da circunstância de, nos tempos de estudante de medicina, ter receita pronta, sempre que amigos ou simples conhecidos, o assediavam, perante doença verdadeira ou imaginária.

-“ Oh pá, f...de! É remédio santo!...”- rematava o Quim, em todas as emergências, com uma valente palmada nas costas. Daí o “remédios”...

É verdade que, na matéria, o meu amigo não era nenhum teórico. Cultivava, antes, o gosto prático dos artesãos. Praticava a “receita” e respirava saúde, como então vos disse... Daí a densidade do actual drama do meu amigo, quase a assumir foros de tragédia...

Pois é verdade! Um dia destes encontrei-o em casa de amigos comuns. Mal me viu entrar, do outro lado da sala, o Quim percorreu os metros que nos separavam, meteu o braço no meu e, enquanto nos afastávamos para um canto discreto, atirou-me:

- “Oh pá, tenho um grande problema! Um verdadeiro drama...” – esclareceu, ansioso.

Conheço bem a vocação teatral do meu amigo e a euforia dos seus gestos e atitudes. Sei, por isso, que os seus exageros acabam sempre por se reduzir a expressão mais simples, nos “dramas” com que, por vezes, pinta a vida (a sua vida!).

Estive, por isso, quase tentado a devolver-lhe a expressão que o tornou célebre : “oh pá, f...! é remédio santo!..” Ainda bem que o não fiz, pelas razões que irão ver. Porém, não pude deixar de saborear um certo gozo intimo, perante o sofrimento do meu amigo...

Limitei-me, pois, a lançar um olhar distraído, entre irónico e curioso e, como era de esperar, referi-lhe que os amigos são para as ocasiões: - “vê lá Quim se eu te posso ser útil nalguma coisa...” - bem sabendo eu que a próspera actividade clínica do meu amigo, com uma clientela da moda, afastariam, à partida, quaisquer preocupações materiais, pelo que a minha disponibilidade não ultrapassaria o razoável plano “do apoio moral”.

Então o Quim puxou-me para ele e, com o seu braço atlético sobre os meus ombros, segredou-me que padecia de uma qualquer enfermidade, declinando um daqueles palavrões médicos, impronunciáveis para quem não seja iniciado...

Impávido, fixei-o, procurando discernir, na sua expressão, a gravidade da doença. Ante o meu silêncio, compreendendo, por certo, que eu ficara a zero, quanto à natureza dos seus males, o Quim puxou-me ainda mais e segredou uma expressão em latim, de cujo sentido apenas retive vagamente o significado de erectus. E, antes que eu pudesse exortá-lo a falar português corrente, o Quim Remédios, do alto do seu metro e noventa, desancou-me:

- “Porra, estás cada vez mais burro! Estou a ficar impotente, disfunção eréctil, percebeste, pá?!“- quase gritou! E num tom mais suave : - “ultimamente, tenho-me ido a baixo e não encontro graça nenhuma, pá!...”

Confesso que a minha gargalhada brotou espontânea e sem qualquer intenção de apoucar o meu amigo. Contudo, não resisti a uma pequena farpa:

- “Mas Quim, o especialista na matéria és tu! Nisso não te posso valer!... Acontece aos melhores...” – declarei, procurando conter o riso e desembaraçando-me do abraço.

E, percebendo o Quim mais descontraído, pelo benéfico efeito da minha gargalhada, alarguei o olhar a sala e inquiri-o, apontando o corpo crepitoso da Zélia, uma morenaça espampanante, a rebentar de cio, no seu tailleur rouge:

- “Não me digas que a maravilhosa “botija sentimental” – é assim que amorosamente a designa -, que tiveste o muito bom gosto de eleger como último trofeu, não é capaz de fazer o milagre?!...”

E, sibilino, acrescentei num sorriso malévolo: - “ E que tal se lhe comprares lingerie a condizer?!...”

Então o Quim, descoroçoado:

- “Nada que não tivesse tentado, pá!..”- retorquiu – “mas imagina tu que uma noite destas, quando lhe mandei pôr umas cuequinhas de seda preta, a gaja teve o desplante de me dizer : “Para quê?!... Só se queres ver a minha passarinha de luto!..”

Vocês acham que o “Remédios”, tem remédio?!... Francamente, começo a duvidar...

37 Comments:

Blogger musalia disse...

sou a primeira?! oh! que honra!:)

pois esse teu amigo, é melhor tratar do problemas senão, não há lingerie ou cor que lhe valha!

beijinhos.

maio 10, 2006 12:00 da tarde  
Blogger batista filho disse...

Tadinho do Quim!... contudo, tenho que admitir, também não resisti a umas boas gargalhadas.
Perfeito encadeamento de idéias. Gostei, muito.
Um abraço fraterno.

maio 10, 2006 12:55 da tarde  
Blogger wind disse...

Gargalhadas, a passarinha de preto está muito bem metida.lololol. O Remédios parece-se com muitos machões que existem por aí e depois acontece-lhes isto:) Muito bem contado esta "estória":) beijos

maio 10, 2006 3:00 da tarde  
Blogger susana disse...

ai, ai, em que anda metido o quim remédios.... digam-lhe k se acalme e seja mais carinhoso com as mulheres senão não há lingerie k lhe valha

maio 10, 2006 3:16 da tarde  
Blogger hala_kazam disse...

lol

bem...parece que afinal nao era remedido santo...

:)

*beijos*

maio 10, 2006 8:10 da tarde  
Blogger AlucarD disse...

olá :)
bigada pelo comment!!
gostei do teu blog... e lindo post este!!
mas keria um chocolate!! ainda tens??? :P heheh
beijos

maio 10, 2006 8:32 da tarde  
Blogger DIAFRAGMA disse...

Nunca vi um Zé a dizer que uma mulher estava "no seu tailleur rouge".!!
Isso são coisas de uma Zé! :))

maio 10, 2006 10:56 da tarde  
Blogger AS disse...

Eis ums bela história!!!

Um abraço

maio 10, 2006 11:00 da tarde  
Blogger Belzebu disse...

Ehehehehe! Hoje o luto já dura pouco,portanto convém que o Quim dê á perna, porque a passarinha ainda esvoaça!

eheheh! Saudações!

maio 10, 2006 11:32 da tarde  
Blogger MWoman disse...

Ai o diabo!
Acho que o Quim tem aqui um grande problema e não vislumbro nos tempos mais próximos qualquer remédio!

Se bem que...há uma receita ou outra que talvez ajudasse...

Olha, manda-o passar no Devaneios que já tenho a prescrição pronta!

maio 10, 2006 11:53 da tarde  
Blogger Castor (moi-je...ehe, ehe) disse...

A passarinha está de luto...
Está de luto a passarinha...
Vá lá, não sejas um bruto,
Tira o negro à viuvinha...

Tira o negro à viuvinha...
Pinta-a, mas de joelhos...
Ai queres que pinte a passarinha?
Pois já fiz isso, sim... pintei-lhos...
ehe,ehe,ehe...

maio 11, 2006 12:51 da manhã  
Blogger toupeira disse...

Não faças aos outros... bem... uma passarinha de luto é bonito...

maio 11, 2006 1:05 da manhã  
Blogger Adryka disse...

Talvez tenha, umas vergastadas talvez o faça acordar;) quem sabe há quem goste;). Beijos

maio 11, 2006 8:28 da manhã  
Blogger adesenhar disse...

Está mesmo mal o Q. Remédios, mas também tenho pena da passarinha de luto, triste, com as asas depenadas e empenadas por falta de exercício.
O problema pode não estar na cor da lingerie! o pássaro pode ter um problema por resolver...
porque há sempre pássaros muito simpáticos nas redondezas, que poderão
ajudar a passarinha a voar!
O Quim Remédios vai resolver o problema, porque mais vale ter uma passarinha na mão...

abraço
:)

maio 11, 2006 11:05 da manhã  
Blogger polittikus disse...

Deixa lá o homem, que este tipo de automedicação é muito boa... hahahahaha

maio 11, 2006 12:40 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Caro Zé
Digamos que é das piores doenças que um homem pode ter. Que piada tem a vida quando nos vemos sem argumentos? :)
Um abraço
Daniel

maio 11, 2006 5:57 da tarde  
Blogger Daniela Mann disse...

AH AH AH AH AH
Hilariante!

maio 11, 2006 7:10 da tarde  
Blogger Lumife disse...

Acho que estamos a ser muito maus tratando de um assunto muito sério com a leveza e o sarcasmo que aqui se vê.

Muitas vezes o humor negro esconde melhor os problemas de cada um...

maio 13, 2006 12:32 da tarde  
Blogger adesenhar disse...

:)

maio 18, 2006 4:25 da manhã  
Blogger zé das loas disse...

Musalia, achas mesmo?! talvez um "milagre", que sabe? ou umas mezinhas. andam por aí umas feiticeiras, a que o Quim não resitiria...

beijos

maio 19, 2006 11:56 da manhã  
Blogger zé das loas disse...

Batista Filho, deixa lá, menos concorrência. e o gajo "morre" de papinho cheio...rss

abraços

maio 19, 2006 11:58 da manhã  
Blogger zé das loas disse...

wind, ainda bem que o texto te divertiu. nada de "lutos", tá bem!..,

beijos

maio 19, 2006 12:00 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

susana, tens razão. o gajo precisa de acalmar, mas o drama é que entrou em calma forçada... rss. beijos

maio 19, 2006 12:02 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

hala_kazam, foi remédio santo, sim! enquanto durou...

faço votos para que o gajo "arribe"! afinal o Quim não merce essa morte macaca...

beijos

maio 19, 2006 12:06 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

alucard, chocolates são com a menina_graça...

aqui apenas umas "loas"! volta sempre. beijos

maio 19, 2006 12:07 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

diafragma, não me digas que falar francês é atributo feminino! quem diria...

(ó menina_graça, este menino está a chamar-me nomes feios... acuda-me! rsss)

abraços.

maio 19, 2006 12:11 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

frog, ainda bem que gostaste da história. gostei de te "ver"! abraços

maio 19, 2006 12:12 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

belzebu, eheheh...

bom será que o Quim te oiça!

("diabólico" commt)

maio 19, 2006 12:14 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

mwoman, já notei. os teus "devaneios" dão vida ... a um morto. beijos

maio 19, 2006 12:16 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

castor, andas a pincelar passarinhas?! de joelhos, pá? rhoda-se...

abraços

maio 19, 2006 12:18 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

toupeira, ca se fazem, cá se pagam, claro! mas o Quim, merecia uma passarinha colorida...

beijos

maio 19, 2006 12:20 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

adesenhar, pois! és capaz de ter razão, o Quim possivelemente terá que dar de comer à passarinha... à mão! coitado, que remédio! abraços

maio 19, 2006 12:23 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

adryka, sou mais radical! vou sugerir-lhe um transplante...

beijos

maio 19, 2006 12:25 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

polittikus, eu deixo o homem, claro. desde que não venha chorar no meu ombro! rsss

abraços

maio 19, 2006 12:27 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

daniel, a falta de argumentos "deve" ser tramada! não convece ninguém, nem sequer passarinhas...

abraços

maio 19, 2006 12:29 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

dra. daniela, gostei da sua gargalhada, doutora!

beijos

maio 19, 2006 12:30 da tarde  
Blogger zé das loas disse...

lumife, prono! que o assunto não te incomode! esqueçamos o probleminha do Quim...

(vê lá se pelo Alentejo há algumas ervas milagrosas que lhe possam valer...rss)

maio 19, 2006 12:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home